Saiba o que fazer se for atropelado

Acidentes de trânsito acontecem e em algumas situações podem haver vítimas de atropelamento. Caso isso aconteça com você, siga as seguintes orientações:

Anote a placa do veículo

A primeira coisa que deve ser feita em caso de acidentes e atropelamento é anotar a placa do veículo. Dessa forma, caso o atropelador fuja ou forneça informações falsas, será possível identificá-lo e localizá-lo.

Chame a Polícia ou Corpo de Bombeiros

Chame o socorro. Disque:

  • 190 para Polícia Militar 
  • 193 para os Bombeiros
  • 198 para Polícia Rodoviária, caso esteja em uma estrada estadual
  • 191 para a Polícia Rodoviária, caso esteja em uma rodovia federais ou ligue para o telefone de emergência da concessionária que administra a rodovia.

Faça essa ligação é muito importante, porque em acidentes com vítima é necessário fazer o BRAT (Boletim de Registro de Acidentes de Trânsito). Com o BRAT, fica muito mais fácil receber o seguro DPVAT, que é um direito de vítimas de acidente de trânsito.

Caso, por algum motivo, você não consiga obter o BRAT, faça um BO (Boletim de Ocorrência) quanto antes para tentar dar entrada no DPVAT e, também, para receber do motorista o ressarcimento de danos e despesas médicas, caso seja necessário fazer isso pelas vias legais.

É importante saber que mesmo que o atropelador seja uma pessoa solícita, deixe claro que ela arcará com todo o seu prejuízo. 

Pegue contatos do motorista e de testemunhas

Tente pegar os dados do motorista como telefone e nome completo e a placa do veículo. Também é importante ter o contato de algumas testemunhas oculares, caso seja aberto um processo contra o atropelador.

Tire fotos do local

Fotografe seus ferimentos, o carro atropelador e os arredores. Essas imagens poderão ser utilizadas em caso de um possível processo, ajudando a demonstrar o que aconteceu. Por isso, tire fotos da posição dos veículos, possíveis marcas de freada e do entorno.

Faça exame no IML

Faça o exame de Corpo de Delito o mais rápido possível após o acidente. Caso você vá até um hospital e tenha feito exames, como o de Raio-X, guarde os resultados, que poderão ser utilizados em caso de processo.

Dê entrada no seguro DPVAT

O seguro DPVAT é um direito de todas as vítimas de acidentes no trânsito. Não é necessário advogado ou algum intermediário para dar entrada no seguro. Para isso, são necessários os seguintes documentos:

  • Boletim de Registro de Acidentes de Trânsito (BRAT) ou o Boletim de Ocorrência
  • RG da vítima
  • CPF da Vítima
  • Relatório do IML
  • Comprovantes das despesas médico-hospitalares
  • Notas fiscais das farmácias e receituário médico
  • Documentos que confirmem seus dados bancários
  • Formulário de autorização de pagamento

É possível dar entrada no seguro pelo aplicativo Seguro DPVAT ou levar os documentos até um dos pontos de atendimento autorizados pela Seguradora Líder-DPVAT.

Compartilhe

Única clínica credenciada pelo DETRAN, perto de tudo e de você!